Excesso de chuvas traz prejuízos à safra de soja no oeste do Paraná

O excesso de umidade no Oeste do Paraná continua como uma preocupação dos produtores e já ocasiona prejuízos nas lavouras de soja da temporada 2017/18. Além da dificuldade em realizar os tratos culturais nas plantações, os agricultores relatam a queda de vagens, o que deve impactar no rendimento neste ciclo.


Os eventos climáticos têm sido tão intensos na região que obrigaram até mesmo a cooperativa C.Vale, de Palotina, a cancelar seu tradicional Dia de Campo de Verão deste ano em razão do excesso de chuvas. As atividades aconteceriam nos dias 16 e 18 de janeiro.


Em muitas regiões, como Assis Chateaubriand, as lavouras já apresentam perdas consolidadas, mas que ainda não podem ser quantificadas, segundo ressaltou o presidente do Sindicato Rural do município, Valdemar Melato, em recente entrevista ao Notícias Agrícolas.


O cenário é o mesmo na região de Palotina. O presidente do Sindicato Rural, Nestor Antônio Araldi, reforça que também há queda de vagens, quadro que já resultou em perda de produtividade. "Também faltou luminosidade para o desenvolvimento da cultura da soja. Em janeiro, tivemos apenas 2 dias de sol na região", completa.


Como explica o engenheiro agrônomo Gilson Sponchiado, da C.Vale, a maior parte das lavouras da região da cooperativa - que está em fase de enchimento de grãos - deverá apresentar um atraso considerável em seu ciclo, dependendo das condições de clima.


"Acreditamos que, continuando as chuvas, devemos ter boas produtividades na região", diz. O forte da colheita na região deverá acontecer depois de 15 de fevereiro.


Sponchiado alerta, porém, para ao ataque dos percevejos que vem sendo observado na localidade, além da mosca-branca, em uma incidência não tão alta. "É interessante que o produtor faça o controle de percevejos e ninfas (...) Tivemos também alguma incidência de ácaros e de algumas doenças", explica.


O engenheiro afirma ainda que os produtores que fizeram um bom controle de pragas e doenças tiveram menos problemas com a queda de vagens em suas lavouras. "A maioria das aplicações está chegando com 15 dias e essa soja vai mais 30 dias para frente para concluir o ciclo, então, vamos ter que fazer mais uma aplicação de fungicida nessas lavouras".


Em seu último boletim informativo, o Deral (Departamento de Economia Rural), reportou que 87% das lavouras apresentavam boas condições e 13% estavam em condições medianas. Nesta temporada, foram semeados 5,46 milhões de hectares com o grão e a expectativa é que sejam colhidas 19,3 milhões de toneladas. As projeções serão atualizadas pelo órgão ainda no mês de janeiro.



Para mais informações acesse: https://www.noticiasagricolas.com.br/

Gostou da leitura? Compartilhe o site, siga nossa página no Linked In / Facebook e deixe seu comentário para nos ajudar a proporcionar notícias e análises a mais leitores​​​​ ​

Copyright © 2016 Portal Seguro Rural. Todos os direitos reservados.