[Artigo] O surgimento de novas seguradoras no mercado rural

Existe uma tendência de um maior número de seguradoras tratando de participar do mercado de seguro rural em nível internacional. Por ser uma atividade muito comum e extremamente resiliente, suas operações se mantêm ativas mesmo quando estão passando por um período de instabilidade econômica. Como os produtores continuarão semeando no campo, seguirão expostos aos riscos inerentes desta atividade ao céu aberto. Isso nos leva a conclusão de que a demanda por seguro rural é mais estável que em outras linhas de negócio.

Com a entrada de novas empresas, surgem efeitos diretos e indiretos para a concorrência, para canais de distribuição e para os clientes finais que, neste caso, são os produtores rurais. Claro que este impacto também vai depender das características locais do mercado e quais estratégias este novo “jogador” utilizará para entrar neste setor. O tamanho da companhia, sua capacidade de investimento e seus planos de curto e longo prazo também influenciarão mudanças na cadeia do seguro rural.

Atualmente, o uso de tecnologia já significa um grande diferencial para a agricultura e as seguradoras deverão seguir se adaptando a este novo normal. A digitalização, além de gerar maior eficiência nas operações relacionadas ao processo de vendas, subscrição e sinistros, reduzirá o custo da administração geral. Através disso, os produtos poderão ser comercializados com taxas mais baratas, que por consequência, também poderá reduzir a dependência de subsídios governamentais. A competição imediata pelos mesmos clientes pode gerar uma redução no custo do seguro, pelo simples fato de aumentar o número de ofertas, e poderá fomentar a criação de melhores produtos. É possível citar, por exemplo, a oferta de seguros agrícolas com produtividades garantidas altas, ampliação de coberturas e o aumento de comissão aos corretores.

Para não buscar sempre os mesmos mercados, haverá também a disposição das empresas para investir em regiões, culturas e produtos de seguros que tradicionalmente receberam menos atenção e oferta. Com base no acima exposto, surgirão novas soluções de gestão de riscos na agricultura, entre as quais, podemos citar os seguros paramétricos, produtos especiais para animais, coberturas específicas para estruturas e bens nas propriedades agrícolas e os “microseguros”, destinado aos produtores de pequeno porte e baixa renda.


Henrique Tresca* *Fundador do Portal Seguro Rural (www.portalsegurorural.com.br). Atua no ramo de seguro e resseguro para o agronegócio.