Chuvas causam prejuízo de até 60% nas hortaliças

Produtores de hortaliças e de uva de Jundiaí já sentem os efeitos das fortes chuvas dos últimos dias. Prejuízos já chegam a 60% nas lavouras e consumidor deve sentir no bolso o aumento dos preços.


Segundo o presidente da Associação Agrícola de Jundiaí (AAJ), Rene Tomasetto, as hortaliças foram as mais atingidas por terem as folhas frágeis. "O excesso de água, assim como o clima seco, prejudicam muito as produções das hortaliças, principalmente a alface. Acredito que os produtores consigam recuperar as perdas daqui a dois meses", afirma Tomasetto.


Em épocas chuvosas é difícil controlar os prejuízos. "Quase todo ano há perdas por conta das chuvas intensas e a única forma de amenizar os prejuízos é construir uma cobertura para as plantações", explica Tomasetto.


MAIS CARO


Além de ter contribuído para as perdas da produção, a chuva também afetou o bolso do consumidor. O produtor rural e feirante Wilson Scalli, da Roseira, já aplicou reajuste de 30%. "Eu produzo hortaliças em geral e o maior prejuízo foi na produção de alface. É uma situação que todo produtor precisa se acostumar porque acontece todo ano, seja com chuvas ou pela estiagem", afirma o produtor do bairro Roseira.


Scalli vende as hortaliças no próprio sítio e em feiras do município e disse que o preço da alface foi o que mais precisou ser reajustado no momento. "As alfaces são vendidas em unidades e, antes das chuvas, cada pé era vendido por R$ 2 e o preço atual é R$ 3", afirma o feirante.


Quem também teve prejuízo na produção com a época de chuvas é a produtora do Medeiros, Maria Teresa Staeheli, que fornece as hortaliças e orgânicos diretamente para restaurantes do município. "Além das perdas, os gastos com a retomada da produção são altos e é necessário começar do zero, desde a preparação da terra até a nova colheita", diz Maria.


A produtora revela que os gastos foram com as hortaliças e acredita em um reajuste nos próximos dias, principalmente nas folhas verdes. "Ainda não fiz o levantamento de quanto eu perdi com a chuva, mas acredito que terão reajustes em breve. Se não fosse pela drenagem na terra, minha produção estaria cheia de lama", diz.


SEGURO


Para atender as demandas dos agricultores, a Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo (UGAAT) disponibiliza equipe técnica e oferece programas como a subvenção municipal do Seguro Agrícola, que está com inscrições abertas até 18 de março, Programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) e desenvolve projeto para um novo programa para apoio ao cultivo protegido.



Para mais informações acesse: https://www.jj.com.br/