Como é feita a estimativa de safra da Conab?

O Portal Agrolink entrevistou com exclusividade a Candice Santos, superintendente de Informações da Agropecuária da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). Ela explica como são coletados e analisados os dados, bem como a metodologia usada para se chegar aos números da estimativa de safra tão aguardados a cada mês no Brasil. Confira:

Como é feita a coleta de dados para a estimativa de safra da Conab?


Candice Santos – A coleta de dados é apenas uma parte da metodologia que a Conab utiliza para a estimativa de safra.


Na Conab, a metodologia de estimativa de área agrícola resulta da combinação de um conjunto de ferramentas composto por métodos objetivo e subjetivo. Os métodos objetivos incluem os modelos estatísticos e econométricos baseados em análises de séries temporais e os mapeamentos das áreas cultivadas são feitos a partir de imagens de satélite, cada uma destas ferramentas utilizada em fases distintas do ciclo produtivo. Os métodos subjetivos abrangem o levantamento realizado por técnicos da Conab, lotados em todas as Unidades da Federação, através da aplicação de questionários aos agentes colaboradores.


A metodologia de estimativa da produtividade das culturas também resulta da combinação de ferramentas composto por métodos objetivo e subjetivo.


Os métodos objetivos incluem modelos estatísticos, pacotes tecnológicos e levantamento objetivo de produtividade em campo, onde é possível coletar informações sobre as variáveis que compõem o cálculo da produtividade. Cada um desses métodos é utilizado em fases distintas do ciclo produtivo.


Os métodos subjetivos abrangem a combinação do acompanhamento agrometeorológico, análise espectral nas regiões produtoras e do levantamento realizado por técnicos da Conab (pesquisa subjetiva). Atualmente, a rede de agentes colaboradores da Conab compreende mais de 900 agentes, em mais de 700 municípios do país.



De posse desses dados coletados, qual o método utilizado para essa projeção?


Candice Santos – Conforme descrito na resposta anterior, a metodologia da Conab congrega um conjunto de métodos, que variam de acordo com as características de cada cultivo agrícola, em cada Unidade de Federação e em cada etapa do ciclo fenológico. Por exemplo: para os principais estados produtores de milho 2a safra, a produtividade final será estimada com base em visitas mais de 600 lavouras, onde são coletados indicadores objetivos de produção. Após a coleta dos dados é realizada análise e tratamento estatístico sobre os dados antes da projeção da produtividade.


Alguns analistas de mercado vêm divergindo dos números publicados. A que se devem essas convergências?

Candice Santos – Cada empresa ou analista de safra detém sua própria metodologia para análise de estimativas de safra. Acreditamos ser direito de qualquer pessoa discordar, ou não, dos dados levantados, tratados, analisados e publicados pela Conab. Atualmente, a Conab faz sua estimativa contando com o trabalho de mais de 100 pessoas em todos território nacional. O resultado dependerá dos dados utilizados por cada instituição. A Conab não se manifesta em relação a outras fontes de informação.


Qual o nível de confiabilidade das projeções da Conab?

Candice Santos – A culturas agrícolas sempre estão suscetíveis às variações nas condições e produtividades enquanto estão em campo submetidas às condições climáticas. Conforme avançam os estágios fenológicos, mais assertivas são as previsões. Nos últimos dois anos, os dados levantados e apurados no 9º levantamento de safras apresentaram, em média, variação de 2,78% em relação aos dados de fechamento da safra. A cultura da soja apresentou 3,09% de acerto entre o 9º levantamento e o fechamento, enquanto o milho apresentou 4,58%.


Em relação a outras entidades e organizações mundiais equivalentes, quais são as diferenças do trabalho de estimativa da Conab?

Candice Santos – Cada organização e entidade de safra detém sua própria metodologia para estimativa de safra. A Conab projeta seus levantamentos de safra alicerçado em um conjunto de metodologias própria, conforme respondido previamente.



Para mais informações acesse: https://www.agrolink.com.br/