Excesso de chuvas limita avanço da colheita

Enquanto a seca assola o Sul do país, no Centro-Oeste é o excesso de chuvas que prejudica as atividades no campo. Com a colheita de soja já iniciada no final de dezembro, segundo a consultoria Pátria AgroNegócios, o volume colhido da oleaginosa alcançou 0,20% da área total do país até a sexta-feira (7). O número poderia ser bem maior mas as chuvas no Mato Grosso, principal produtor, atrapalham o andamento.


"Muito difícil este início de colheita... A capacidade operacional está enorme para este ciclo 2021/22 --e vimos toda essa capacidade sendo aplicada no plantio mais rápido da história do Brasil. Entretanto, a colheita está inviável, por enquanto!", afirmou o diretor da consultoria, Matheus Pereira, à Reuters.


O estado tem cerca de 0,60% da área colhida, ante 0,75% da média histórica para o período. Em 2021, o Mato Grosso ainda não havia iniciado os trabalhos, mas em 2020 havia retirado soja de 1,79% da área, segundo o levantamento.


"O excesso de chuva vai se tornar um grande complicador até o dia 12 de janeiro", disse o diretor, lembrando que, até lá, os mapas climáticos continuam trazendo um padrão bem úmido para grande parte de Mato Grosso. Ou seja, para a atualização da próxima semana, ainda é esperado um ritmo lento de colheita no Brasil", disse ele.


Além de Mato Grosso, a consultoria registra 0,10% de soja colhida no Paraná, versus 0,67% da média histórica para a época, e 0,20% em Goiás, ante média histórica de 0,40%.



Para mais informações acesse: https://www.agrolink.com.br/