top of page

PIB da Argentina pode ser afetado em funçao da seca severa

Temores de perdas estão tomando conta do governo do presidente Alberto Fernández, com as bolsas de grãos alertando que a deterioração de até 2 pontos do Produto Interno Bruto (PIB) este ano. E isto causaria danos significativos aos cofres do estado da Argentina e suas chances de cumprir as metas fiscais delineadas em seu acordo de dívida multibilionária com o Fundo Monetário Internacional.



Segundo estimativas da Bolsa de Valores de Rosário, o impacto da seca apagaria 2,2 pontos do PIB até 2023. Um relatório apresentado pela Bolsa cortou as estimativas para a colheita de trigo, soja e milho em 28,5 milhões de toneladas, equivalente a 23% da produção inicial esperada.


O custo da seca de 2022/23 já chega a US $10,425 bilhões para os produtores de soja, trigo e milho e apagaria 2,2 pontos da estimativa do PIB deste ano, alertou, acrescentando que a situação “pode piorar se o déficit de chuvas continuar”.


“Quando falamos em perda de receita líquida do setor produtor, estamos nos referindo à diferença entre a margem líquida do produtor estimada no momento da semeadura, com rendimento médio em condições climáticas normais, e a que se espera até hoje, em decorrência da seca", explicou a entidade comercial de Rosário.


“Essa análise leva em conta tanto a perda de rendimento, quanto os hectares que foram semeados e não podem ser colhidos, e aqueles que nem puderam ser semeados por falta de umidade”, acrescentaram.


A menor receita com as exportações também tem um efeito cascata em fretes, serviços financeiros e intermediários, assim como uma menor demanda no setor de construção, etc. É o que se chama de efeito multiplicador da agricultura sobre o consumo na Argentina. No início desta semana, a bolsa de Rosário disse que a Argentina perdeu metade da safra de soja em sua principal área de cultivo, o fértil pampa húmeda, devido à seca.


“Embora se soubesse que seria uma safra muito difícil por causa da estiagem, o que se viu superou os piores pesadelos dos produtores”, disse a bolsa. Alertando que “as perdas econômicas serão muito grandes”, a bolsa de grãos disse que “há queda na área semeada devido à extrema falta de água” e a expectativa é de que “pode haver produtores que não colham nada este ano.”



Para mais informações acesse: https://www.agrolink.com.br/

コメント


bottom of page