Safra de soja quebra e MS colhe 8,6 milhões de toneladas, retração de 34,6%

Volume não colhido equivale ao montante de soja exportado pelo Estado anualmente: 4 milhões de toneladas.

Na safra 2021/2022, Mato Grosso do Sul teve o menor volume colhido de soja dos últimos 5 anos, com produção de 8,6 milhões de toneladas, o que representa uma retração de 34,6% na comparação com a safra anterior, que alcançou produção de 13,3 milhões de toneladas. A quebra na safra equivale ao mesmo montante de soja exportado por MS anualmente: 4 milhões de toneladas.


Para Jaime Verruck, o titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), o número representa claro impacto econômico. “Muitos produtores estavam cobertos com o seguro agrícola, outros não, mesmo assim há um impacto direto na renda desses produtores e uma perda econômica significativa para Mato Grosso do Sul”, afirma.


Os dados foram divulgados nesta terça-feira (26) e são do projeto Siga/MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio), que é coordenado pela Semagro em parceria com a Aprosoja/MS (Associação de Produtores de Soja de MS) e a Famasul (Federação da Indústria de Mato Grosso do Sul).


Havia expectativa de que a safra batesse recorde, com área plantada de 3,7 milhões de hectares e estimativa de produtividade média de 56 sc/ha (sacas por hectare). No entanto, o período de seca registrado no final do ano passado interferiu no desenvolvimento das plantas e provocou perdas significativas em muitas lavouras. Com isso, a produtividade média alcançada foi de 38,65 sc/ha, uma retração de 38,5% na comparação com a safra 2020/2021, quando a produtividade foi de 62,84 sacas por hectare.


Regiões - A região sul do Estado, que compreende 62,4% da área total ocupada pela produção de soja em Mato Grosso do Sul, alcançou produtividade média de 27,85 sc/ha. Produtividade ligeiramente acima dessa foi registrada na região central do Estado: 46,67 sc/ha, que representa 22,4% da área total plantada em MS. O melhor desempenho foi verificado na região norte, com média de 71,15 sc/ha,  região que compreende 15,2% da área estadual ocupada com soja.


Apenas 30 municípios de MS, dos 77 produtores, apresentaram produtividade média acima do índice estadual. Para técnicos do Siga/MS, a produtividade total do Estado foi baixa devido às médias registradas em importantes municípios produtores como Maracaju, Sidrolândia, Ponta Porã, Dourados e Rio Brilhante, que foram abaixo de 46,78 sc/ha e, juntos, correspondem a 34% na média estadual.


Entre os municípios com as produtividades mais altas estão Rio Negro, Alcinópolis, Costa Rica, Chapadão do Sul, São Gabriel do Oeste, Sonora, Paraíso da Águas, Cassilândia e Coxim, com índice acima de 64,38 sc/ha.



Para mais informações acesse: https://www.campograndenews.com.br/