Soja firma com déficit de safra da América do Sul, alta de 5% na semana

Secas e chuvas excessivas prejudicaram as perspectivas de produtividade


Os contratos futuros de soja nos EUA estavam estáveis para principalmente em alta na sexta-feira, perto de um pico de oito meses, já que alguns traders embolsaram lucros com fortes ganhos nesta semana, mas o mercado permaneceu sustentado por preocupações com os rendimentos reduzidos pelo clima na América do Sul. O milho também ficou estável a mais firme, enquanto os futuros do trigo subiram em uma cobertura curta e recuperação técnica após dois dias de quedas.


Traders de grãos estão começando a acertar posições à medida que aguardam os relatórios de oferta e demanda de safras do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) da próxima semana, que devem mostrar uma oferta mais apertada de grãos e oleaginosas e safras menores no Brasil e na Argentina.


O mercado está atento a qualquer aumento na demanda de exportação de safras da China, já que os comerciantes do principal país importador de milho e soja retornam do feriado do Ano Novo Lunar.


"O mercado está tentando medir o quanto dessas perdas maciças de safras (sul-americanas) já foram direcionadas ao mercado... Tivemos esse aumento maciço nos preços e está meio que parado", disse Don Roose, presidente de commodities norte-americanas.


"Mas quando saímos dos feriados do Ano Novo Lunar, normalmente vemos compras reprimidas saindo da Ásia", acrescentou.


O USDA confirmou na sexta-feira 295.000 toneladas em vendas de exportação de soja dos EUA para compradores não revelados, o mais recente de uma série de anúncios de vendas nesta semana.


A bolsa de grãos de Buenos Aires cortou sua previsão para a safra 2021/22 de soja argentina em 2 milhões de toneladas para 42 milhões de toneladas na quinta-feira.


As ondas de calor e a seca prejudicaram as perspectivas de produtividade na Argentina, Paraguai e sul do Brasil, enquanto algumas partes do maior exportador de soja do Brasil estão agora enfrentando excesso de chuva.



Para mais informações acesse: https://www.agrolink.com.br