Zoneamento orienta sobre riscos climáticos no cultivo de cevada

Foram publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira (29) as Portarias de 351 358 com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para a cultura de cevada de sequeiro, ano-safra 2020/2021.


O Zarc tem o objetivo de indicar períodos de menor risco para o plantio, reduzindo a probabilidade de ocorrerem problemas relacionados a eventos climáticos não desejáveis. Dessa forma, permite ao produtor identificar a melhor época para plantar, levando em conta a região do país, a cultura e os diferentes tipos de solos.


A produção de cevada (Hordeum vulgare L.) com finalidade cervejeira é influenciada pelo clima, pelas características genéticas da cultivar e pelas práticas de manejo de cultivos adotadas.


O novo Zarc para a produção de cevada no Brasil para uso cervejeiro, sistemas sequeiro e irrigado, é um incentivo para mudar a realidade do cultivo desse cereal no Brasil. Os pesquisadores identificaram potencial para a produção de cevada para uso cervejeiro em sistema de sequeiro no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e no sul de São Paulo. E cevada em sistema irrigado nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás e no Distrito Federal.


“O estímulo ao cultivo de cevada para uso cervejeiro no Brasil é um dos papeis que esse novo Zarc poderá exercer, ao atuar como indutor de tecnologia de produção e facultar o acesso às politicas de crédito e seguro rural”, destaca o agrometeorologista da Embrapa Trigo Gilberto Cunha. 


O Zarc visou a identificação dos municípios aptos para o cultivo desse cereal naquelas Unidades da Federação que, reconhecidamente, possuem aptidão potencial para a produção de cereais de estação fria em sistemas de produção grãos consolidados. 


No sistema de produção em sequeiro, foram avaliados os riscos para a incidência de geada no decêndio do espigamento e a análise do risco de deficiência hídrica conforme o tipo de solo, considerando as fases críticas de estabelecimento da cultura no campo (fase I) e durante o enchimento dos grãos (fase III). Os ambientes considerados com aptidão para o cultivo de cevada para uso cervejeiro em sistemas irrigados foram definidos pelos contornos da estação de crescimento da cultura caracterizada por ausência ou pouca chuva, não desconsiderando o risco de geadas. 


“A gestão de riscos de natureza climática, especialmente no cultivo de cevada para uso cervejeiro, pode ser melhorada pela assistência técnica local, via a diluição de riscos, quando são associadas, ao calendário de semeadura preconizado nas Portarias do Zarc, práticas de manejo de cultivos que contemplem a rotação de culturas, o escalonamento de épocas de semeadura e a diversificação de cultivares, com ciclos diferentes, em uma mesma propriedade rural”, orienta Gilberto Cunha.  




Para mais informações acesse: https://www.gov.br/agricultura


Gostou da leitura? Compartilhe o site, siga nossa página no Linked In / Facebook e deixe seu comentário para nos ajudar a proporcionar notícias e análises a mais leitores​​​​ ​

Copyright © 2016 Portal Seguro Rural. Todos os direitos reservados.