Produtos de seguro para arroz serão avaliados em videoconferência do Mapa

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará no dia 16 de julho, às 15h, uma videoconferência do projeto Monitor do Seguro Rural, dedicada ao seguro rural do arroz.

O objetivo é avaliar e propor aperfeiçoamentos nos produtos e serviços ofertados pelas seguradoras, que estudam aprimorar os seguros com coberturas mais aderentes às necessidades dos produtores.


Para participar da videoconferência basta acessar o seguinte link da plataforma Teams na data e horário agendados: tinyurl.com/msrarroz


O trabalho é coordenado pelo Departamento de Gestão de Riscos do Mapa e terá a participação de produtores com o apoio das entidades representativas do setor, cooperativas, associações, revendas de insumos, companhias seguradoras, empresas resseguradoras, corretores, peritos e instituições financeiras.


O seguro rural de arroz teve 4.875 apólices subvencionadas pelo Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) no ano de 2020. “É uma oportunidade de os produtores e técnicos dialogarem com as seguradoras para compreender o desenho dos produtos de seguro rural de arroz que estão disponíveis no mercado”, explica o diretor do Departamento de Gestão de Riscos do Mapa, Pedro Loyola. Nesse caso, as subvenções para este ano podem ser de 20% para produtos de risco nomeado e de 25% a 30% para produtos com cobertura multirrisco, enquadra. Para o ano de 2022, os produtores de arroz poderão contratar o seguro rural com subvenção federal de 40%, independente do produto escolhido.


“O monitor é uma oportunidade para os produtores e as cooperativas, com as entidades representativas, construírem soluções em conjunto com as seguradoras e o apoio do Mapa”, afirma Loyola. Dentre as principais modalidades, o seguro rural prevê cobertura de riscos nomeados, em que o produtor escolhe os riscos cobertos como geada e granizo, e a cobertura multirrisco com a cobertura para riscos diversos como seca, chuva excessiva, granizo, geada, raio, tromba d’água, ventos fortes, ventos frios e variação excessiva de temperatura.



Para mais informações acesse: https://www.gov.br/agricultura/